Tour cultural é opção para desbravar o Interior de Roraima

A capital do Estado foi planejada em formato de leque. Foto: Divulgação

Roraima, na região Norte do Brasil, possui alguns dos roteiros mais cobiçados pelos turistas brasileiros. Caso do Monte Roraima e da belíssima Serra do Tepequém. Porém, muito além disso, o Interior do Estado guarda riquezas culturais ainda pouco exploradas, com pluralidade de atrativos, belezas naturais e saborosa gastronomia…

A Orla Taumanan é um bom lugar para assistir o pôr do sol. Foto: Tiago Orihuela

O ponto de partida para um roteiro pelos igarapés e árvores centenários roraimenses é Boa Vista. Única capital do País que está situada no Hemisfério Norte, a cidade de 130 anos tem grande importância geográfica, já que Roraima faz fronteira com a Venezuela e Guiana. E abriga diversos encantos em suas largas e planejadas avenidas com arquitetura modernista às margens do Rio Branco.

As largas e modernas avenidas da capital do Estado. Foto: Divulgação

Para conhecer o melhor da cidade, a dica é fazer um city tour pelo centro histórico, visitando lugares como os palácios e as igrejas. Depois, partir para um river tour, onde, além das casas típicas da região, é possível contemplar um memorável pôr do sol.

O Monumento aos Pioneiros em Boa Vista. Foto: Tiago Orihuela

Pertinho da capital, há algumas comunidades indígenas que oferecem ricas experiências culturais aos visitantes, como a Tabalascada e a Raposa I. Situada a cerca de 25 quilômetros de Boa Vista, a primeira integra a etnia wapixana há mais de três séculos. Em uma visita, é possível vivenciar costumes e danças indígenas, degustar bebidas como o caxiri, conhecer a manufatura de artesanato e descobrir histórias e lendas desses índios.

Oca em aldeia indígena em Roraima. Foto: Divulgação

Já a Comunidade Raposa I, a 180 quilômetros da cidade, oferece, desde o início de seu percurso, a oportunidade de observar as exuberantes fauna e flora nativas. No local, um dos grandes destaques fica por conta das oficinas de farinha e das panelas de barro. Essa última é um Patrimônio Imaterial Indígena da etnia macuxi.

Amajari, a porta de entrada para a histórica fazenda. Foto: Folha de Boa Vista

A cerca de 150 quilômetros de Boa Vista, outro atrativo legal é embarcar em um tour pelo interior é a Fazenda Bacabal. Considerada uma das mais tradicionais de Roraima, a histórica fazenda remete aos tempos da expansão agrícola na região. Hoje, ideal para o turismo rural, apresenta atividades como caminhadas e cavalgadas com os cavalos lavradeiros – típica raça da região –, além de rodas de conversa para aprender sobre a história de local. A propriedade oferece refeições e hospedagem.

Cavalos lavradeiros, raça típica da região. Foto: Divulgação

A fazenda está localizada em Amajari, cidade que abriga a Serra do Tepequém. Portanto, estando por lá, vale a pena esticar o circuito até um dos principais pontos turísticos do Estado. Nessa região, a vegetação varia entre campos e floresta virgens, sendo que a imponência de suas belezas naturais é demonstrada no ponto mais alto da  serra, situado a 1.200 m de altitude.

Um dos encantos da Serra do Tepequém. Foto: Makunaima
A Lagoa Esmeralda na serra roraimense.Foto: Facebook
Rosto de índio “esculpido” pela natureza na Serra do Tepequém. Foto: Divulgação

SERVIÇO

Quem leva: A Roraima Adventures, agência especializada em roteiros da região Norte do Brasil, conta com o pacote “Experiência cultural em Roraima”, que oferece oito dias de passeios pelo interior do Estado a partir da capital Boa Vista.

Para obter mais informações, acesse roraimaadventures.com.br/produto/experiencia-cultural-em-roraima.

 

Foto do destaque: Orla Taumanan em Boa Vista. Crédito: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: