Viena reinaugura o Museu Sigmund Freud

Após ter passado por uma grande reforma e de ter recebido melhorias em sua infraestrutura, o importante espaço cultural da capital austríaca será reinaugurado em maio. Também é em 2020 que o mundo celebra o jubileu de 120 anos do livro “A Interpretação dos Sonhos”, de Sigmund Freud, um dos maiores pensadores do século XX.

 

Sigmund Freud (1856-1939) foi um arqueólogo da psique. O pesquisador de almas e ícone da psicanálise passou a maior parte de sua vida em Viena. Mais precisamente, no 9° distrito, na Rua Berggasse, 19. Foi aqui que ele constituiu suas principais teorias e recebeu a refinada sociedade vienense em seu divã. O sucesso de seus tratamentos e tratados científicos o tornou famoso mundialmente. Anos mais tarde, a Universität Wien homenageou o grande cientista com um busto que pode ser visitado até hoje no hall do edifício.

 

Sigmund Freud, médico neurologista, psiquiatra e criador da psicanálise. Foto: Turismo de Viena

 

Freud ergueu uma nova imagem revolucionária do ser humano e tinha uma visão sobre as mulheres diferente da de seus contemporâneos. Para o médico neurologista, psiquiatra e criador da psicanálise, elas desempenhavam os papéis principais: foram suas mentoras, incentivadoras, pacientes e discípulas. Sua filha Anna Freud talvez tenha sido a mulher mais importante até o final de sua vida. Ela seguiu os passos do pai, dando continuidade a seus ensinamentos e o acompanhando em sua última viagem, quando Freud, de família judaica, teve de fugir da ocupação nazista e do Holocausto.

Enquanto a sua reputação crescia no Exterior, nacionalmente, os nazistas queimavam seus livros. Em 1938, aos 82 anos ele foi obrigado a deixar sua Viena e obteve refúgio em Londres, na Inglaterra. Passado um ano de exílio, se submeteu a uma overdose de morfina com a ajuda de seu médico familiar, que o acompanhava em função de um câncer incurável. Morreu aos 83 anos abandonado e sozinho.

 

A Rua Berggasse abriga a sede do Museu Sigmund Freud. Foto: Marjorie Apel/Wikimedia

 

Sua lembrança segue preservada até hoje na Rua Berggasse. Aqui estão reunidos os principais pontos da vida de Freud na cidade. Por 47 anos foi esse o seu endereço profissional. Desde 1971, o Sigmund Freud Museum está situado em seu antigo consultório. Nas salas desse espaço, ele escreveu a maior parte de seus artigos, organizou seus encontros das quartas-feiras e fumou seus charutos. Foi graças a Marie Bonaparte, confidente de Freud ao longo de muitos anos, que ele conseguiu transportar todos os seus bens e o seu mobiliário até o exílio na capital inglesa.

Nas folgas – Nas raras pausas que se permitia, Freud passeava no parque situado diante da Igreja Votivkirche (hoje renomeado Sigmund-Freud-Park). Perto dali, nas noites de Verão, frequentava o Café Landtmann  e, no Inverno, o Café Central na Rua Herrengasse. Frequentados por intelectuais, artistas e líderes políticos nas primeiras décadas do século XX, os dois espaços ainda agora são um chame à parte de Viena, oferecendo tradicionais tentações doces e salgadas vienenses.

 

Interior do Café Landtmann, ainda agora uma atração da capital austríaca. Foto: Christian Stempe/Turismo de Viena

 

À época de Freud, na Bellevuehöhe, no 19º distrito, se situava o Hotel Schloss Bellevue, um lugar que sempre figurava entre os passeios preferidos do Verão vienense – também para a família Freud. Foi aqui que, na noite de 23 para 24 de julho de 1895, Freud teve o sonho decisivo que o levou a escrever o livro “A interpretação dos sonhos”. Nascia a psicanálise. Em 2020, esse livro seminal de Freud comemora seus 120 anos de publicação – preservando até hoje sua relevância.

O museu – Em Viena, já não é possível conhecer o divã de Freud, mas, a partir de maio, será possível buscar seus resquícios nas salas privativas do Museu Sigmund Freud, recentemente reformadas. É a primeira vez que elas se tornam acessíveis ao público. Uma nova exposição permanente com ambientação museológica atual retrata a vida de Sigmund Freud e de sua família na Rua Berggasse, permitindo que os visitantes vivenciem as salas originais do espaço e conheçam os seus diferentes usos ao longo das décadas.

A psicanálise fundada por Freud é apresentada com enfoque em sua etapa de desenvolvimento, em seus desdobramentos atuais e na sua difusão pelo mundo. O espaço deixado pela ausência do divã serve de memória às atrocidades do Holocausto. Já as novas instalações do museu, novas e otimizadas, contribuem para uma visita à altura do espaço: o elevador agora chega a todos os andares da casa.

 

A casa onde o psiquiatra morou. Foto: PhilEOS/Wikimedia

 

A loja e a bilheteria do andar térreo têm estrutura para atender os mais de 100 mil visitantes anuais e as visitas em grupo ficam facilitadas pela infraestrutura ampliada. O café do museu serve como ponto de encontro. A abertura de novos espaços na parte elevada do térreo e no mezanino possibilita que os visitantes visitem novas salas – em especial, o apartamento de Freud – e conheçam o acervo de arte conceitual do museu, que conta com obras de Franz West, Joseph Kosuth, Jenny Holzer e outros.

A biblioteca da psicanálise do Sigmund Freud Museum – com seu acervo de cerca de 40 mil mídias, a maior biblioteca de estudos temáticos da Europa – é parte do grande projeto de reestruturação e reforma do espaço. Ela está sendo reconfigurada para se adequar às necessidades atuais e poderá ser visitada por um maior número de usuários. O principal espaço da biblioteca será uma sala multifuncional de leitura e de eventos.

 

SERVIÇO

Sigmund Freud Museum, 9º distrito, Rua Berggasse, 19, 1.090, Viena. De segunda-feira a domingo, das 10h às 18h. Reinauguração final de maio de 2020. Site: www.freud-museum.at.

Passeio virtual no atual Museu Sigmund Freud de Viena em Google Arts & Culture
https://artsandculture.google.com/partner/sigmund-freud-museum.

Freud continua sendo parte viva de Viena – e assim sempre será. Site: www.freud.vienna.info

 

Foto de abertura do texto: Anel viário de Viena com vista do Volksgarten, museus e do parlamento. Foto: Christian Stemper/Turismo de Viena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: