Hotel de sal é atração do Salar de Uyuni

Localizado na Bolívia, a 600 km da capital La Paz, o maior e mais alto deserto de sal do planeta é o único ponto natural brilhante que pode ser visto do espaço. Ele serviu de guia para os astronautas da Apollo 11, que chegaram à Lua em 1969.

 

 

Situado nos departamentos de Potosi e Oruro, no sudoeste da Bolívia, no Altiplano da Cordilheira dos Andes, o Salar de Uyuni é o maior e mais alto deserto de sal do mundo, com 10.582 quilômetros quadrados e a 3.650 metros de altura acima do mar. Em seu solo de crostas de sal multiplicam-se incontáveis belezas, hipnotizantes paisagens e exóticos atrativos.

O Hotel Palácio de Sal é um deles. Convivendo em harmonia com a natureza, o empreendimento foi construído com blocos de sal, constituindo-se – por si só – em uma atração à parte do destino. É ainda um dos pontos de partida para quem pretende explorar essa pitoresca região do planeta, disponibilizando diversos passeios aos hóspedes.

 

Lobby do hotel, com visão privilegiada do deserto. Foto: Divulgação

 

Mas, antes de viajar e de optar por um deles, é aconselhável conhecer melhor esse fascinante pedacinho de solo boliviano. O Salar de Uyuni tem duas estações climáticas bem diferenciadas: a seca e a chuvosa. A primeira se estende do final de abril ao início de dezembro. Durante esse período, não há chuvas, o que possibilita que a região possa ser explorada de ponta a ponta.

De maio a setembro, a temperatura média é de 5ºC, mas este também é um período que frequentemente os termômetros registram temperaturas abaixo de zero, principalmente à noite. Nos meses de outubro, novembro e dezembro a temperatura é mais amena e atinge 14ºC. Nos meses de Inverno (de maio a setembro), é preciso incluir em sua bagagem roupas bem quentinhas, de preferência roupas térmicas, jaquetas, cachecóis, luvas e gorros.

 

Ambiente interior do Palácio de Sal. Foto: Divulgação

 

Já a estação chuvosa, também chamada de “Reflexo da Água”, vai do final de dezembro até meados de abril. Durante esses meses, o Salar tem muitos pontos de alagamento devido à grande quantidade de chuvas. Por isso, adota os regulamentos do Departamento de Potosí, que proíbem a entrada para mais de 15 km, assegurando a maior a segurança dos visitantes.

Durante a estação chuvosa, a temperatura média é de 14ºC e os dias podem ser muito nublados ou chuvosos. Por isso, leve roupas leves, botas e capas de chuva, sandálias, chapéu e protetor solar. Como o clima é muito seco, hidratantes para o corpo e para os lábios também são recomendáveis. Já os óculos de sol são indispensáveis em qualquer um dos meses do ano para proteger os olhos do reflexo produzido pela brancura das salinas.

 

Localizada a 2.810 metros de altitude, Sucre é uma das cidades mais altas da América do Sul. Foto: Wikimedia

 

Por último, é bom saber que o Salar de Uyuni é um destino 100% natural onde não há atrações para crianças. No entanto, se seus filhos estão acostumados a passar muitas horas sentados em um ônibus ou em uma van, não hesite em levá-los.

 

Deserto Dali. Foto: Capobleu/Pixabay

 

Imensidão branca

A caminhada em que você vai poder percorrer o impressionante Salar de Uyuni é apenas um dos tours disponibilizados pelo Hotel Palácio de Sal. A imensidão branca que desfilará diante de seu olhar é resultado da evaporação de lagos pré-históricos. Aqui, um lembrete: se você não está acostumado ao ar rarefeito das elevadas altitudes, não deve fazer longas caminhadas nem praticar atividades intensas sem fazer intervalos de descanso.

 

Salar Uyuni, Bolívia.Foto: Wikimedia Commons

 

Da mesma forma, você deve também beber muita água durante toda a sua estadia, evitando a falta de ar, a dor de cabeça, as tonturas e os enjoos, sintomas do soroche, como o mal da altitude também é conhecido. Vale lembrar que, em alguns casos, o seu apetite pode diminuir bastante e que a sua digestão eventualmente também pode ser prejudicada pela altura. Por isso, mantenha-se hidratado.

Altitudes de lado, você também pode aproveitar a sua estadia no hotel para conhecer a Reserva Natural de Fauna Andina Eduardo Avaroa, por onde se exibem vulcões de diferentes alturas. Caso do imponente Licancabur, em cujos pés fica a Lagoa Verde. Ainda na reserva, outra opção é visitar as Lagunas de Colores, com destaque para a Colorada, lar de flamingos cor-de-rosa da rara espécie James.

 

O Vulcão Licancabur. Foto: Visit Chile

 

Pela região espalham-se ainda diversas paisagens de formações rochosas com pedras vulcânicas, como a Itália Perdida, a Árvore de Pedra e o Deserto Dali, cuja paisagem é de surreal beleza. Se tiver mais tempo, dê um pulo até os gêiseres Sol de Mañana – o amanhecer é o momento em que o gêiser emite vapores com mais intensidade.

 

Gêiseres Sol de Mañana. Foto: Diego Delso/Wikipedia

 

Explore ainda as águas termais de Polques, que concentram uma grande riqueza de fauna e flora únicas na região. Sucre, a capital constitucional da Bolívia, e Potosí, onde fica a maior mina de prata do mundo, são outras atrações que também merecem muito a sua visita. Boa viagem!

 

SERVIÇO

Onde ficar

Hotel Palácio de Sal: possui 42 apartamentos, divididos nas categorias Suíte, VIP e Standard. Todos têm banheiro privativo, com água quente e fria e aquecimento central ou elétrico. O empreendimento conta ainda com lobby, sala de jogos, SPA, loja e butique, além do restaurante El Mesón, que combina o que há de melhor na gastronomia local com as mais novas técnicas culinárias. Entre as especialidades estão os pratos preparados com carne de lhama e de cordeiro. Destaque ainda para o frango com sal.

 

Foto: Divulgação

 

O serviço de internet é gratuito, mas, dada a área onde está localizado, é feito por um sistema de satélite. Portanto, qualquer problema climático, como tempestades de vento ou chuva, pode limitar a velocidade do serviço ou causar a sua interrupção. Oferece transfers de chegada e partida ao aeroporto Mais informações no site www.palaciodesal.com.bo ou no perfil de Instagram @palaciodesal.

Como chegar

De avião: você pode usar as companhias aéreas Amazonas e Boliviana de Aviación (BOA) que têm voos da cidade de La Paz.

De trem: pegue o que vai da cidade de Oruro a Villazón ou vice-versa, que pára em Uyuni.
De ônibus:

De Potosí: ônibus direto com uma viagem aproximada de cinco horas. Os ônibus partem de manhã e às 19 horas. A estrada é pavimentada.

De Oruro: ônibus direto com uma viagem aproximada de sete horas. Saem todos os dias a partir das 19 horas.  A estrada é pavimentada.

De La Paz: ônibus com uma viagem aproximada de 12 a 14 horas. Eles partem todas as noites às 19 horas.

Se você decidir alugar um carro, opte por um veículo 4×4, pois as únicas estradas pavimentadas são de Oruro e Potosí até Uyuni, que na estação chuvosa apresentam más condições. Também é importante que você abasteça o seu carro em cidades maiores, porque não há postos de gasolina ao se afastar de Uyuni.

 

Foto do destaque: Sol de Mañana. Foto: Kallerna/Wikipedia

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: